FUCK ME HARDER SONNET 2

Fuck me harder, leave the haters behind
As you know I am a slut for leisure
Arrest me on the mountain top’s incline
For I’ve klepted when I ought to please your
Neglected epic skin, and pull your hair.
When the ladies call my pigtails prairie
Step in, honey, and set the gender fair
Put me in a suit and call me Mary,
Transcoping this girl’s grist or that girl’s scope.
Holy monogram, how you like to tease,
Tender cufflink, I’m hurting for the grope
That sets my alpha at its churlish ease.
So strap me to the bed and knife my garter
Until I’m screaming baby fuck me harder.

FODA-ME MAIS FORTE SONETO 2

Ignore ódios, e me foda forte
Pois vagabunda sou no meu lazer
Prenda-me lá no inclinar do monte
Pois roubo quando deveria aprazer
A épica pele erma e puxar-te a crina.
Se minhas tranças elas chamam pradaria
Venha, e o gênero meu bem defina
Vista-me um terno e me chame Maria,
Transpondo numa o fim noutra o grão.
Sigla sacra, como você provoca,
Tenra abotoadura, doo pela mão
Que fixa meu alfa onde toca.
Ata-me então, e a minha liga corte
Até eu urrar foda-me amor mais forte.

 

ON HOW TO TRANSFORM AN IMAGINARY INTO AN ACTUAL LOVER

I do not want your gratitude I want your panties. – ALLI WARREN

Now all but one citadel is burning. My persuasion is tending to me softly in the Greek letters. How do you theorize Love? If you look closely enough at a word, you’ll find it contains its opposite. These are the thieves Achilles reckoned with, one coatcheck down from the Imagination. He looks like a linebacker but he runs like a deer… Many come inside the versification of a cold letter – some prefer numbers. Last night I burned sheets I didn’t even know I had. Now all but one cure remains in the city: we’re running out of water, getting overrun with water. My dream of your name becomes an embarrassing chant. Many, Cuz, step inside the building once burning and declare it their laugh-riot temple. You know better, having found the cure for Love.

EM COMO TRANSFORMAR SEU AMANTE IMAGINÁRIO EM UM REAL

 

I do not want your gratitude I want your panties. – ALLI WARREN

 

Agora todas as cidadelas estão queimando, exceto uma. Minha persuasão está tendendo para mim suavemente nas letras gregas. Como você teoriza o Amor? Se olhar bem de perto para uma palavra, você descobrirá que ela contém o oposto. Estes são os ladrões que Aquiles confrontou, um tíquete abaixo da imaginação. Ele parece um zagueiro mas corre como um veado… Muitos vem dentro da versificação de uma carta fria – alguns preferem números. A noite passada eu queimei lençóis que nem sabia que tinha. Agora todas exceto uma cura permanecem na cidade: estamos ficando sem água, estamos nos inundando de água. Meu sonho do seu nome torna-se um vergonhoso canto. Muitos, cara, adentram no edíficio que já pegou fogo e o declaram seu templo das gargalhadas. Você sabe melhor, tendo encontrado a cura para o AMOR.

 

AMOROSA ERRANZA

Cosa mi trovo in amorosa erranza.

-DANTE

All my dark hardiments begin, so furious and so fell. All disarrayed in love I began to speak of Mariners. And when I saw the grove divided into double parts, which ways I took, diversely can I tell but can no ways devise. So in I entered was, and marvelled at the wandering way. Although my leman, I am in wondrous doubt-tell me, ERE I DIE OF LOVE-which way to turn? Your hands are like pansies your teeth are like tombstones, and all along the way even the labyrinths shuddered. Where can I go to powder my nose safely? Your address makes me feel intimate, yet I undergo the strangest beguilements, I become incredulous.  

AMOROSA ERRANZA

Cosa mi trovo in amorosa erranza.

-DANTE

Todos os meus sombrios atrevimentos começam, tão furiosos e tão mortais. Todo desarranjado no amor começei a falar de Marinheiros. E quando eu vi o arvoredo dividido em partes duplas, quais trilhas tomei, diversamente posso eu dizer mas nenhuma trilha advinhar. Então dentro entrei estava, e admirava a divagante trilha. Apesar da mia dona, estou em maravilhosa dúvida-diga-me, ANTES QUE EU MORRA DE AMOR-para qual trilha virar? Suas mãos são como amores-perfeitos seus dentes são como lápides, e durante toda a trilha até os labirintos tremeram. Onde posso retocar meu pó a salvo? Seu endereço me faz sentir íntimo, e ainda que submeta-me aos mais estranhos encantamentos, torno-me incrédulo.

Julian Talamantez Brolaski

(Tradução: Virna Teixeira)

Julian Talamantez Brolaski is the author of Of Mongrelitude (Wave Books, 2017), Advice for Lovers (City Lights, 2012), gowanus atropolis (Ugly Duckling Presse, 2011), and coeditor of NO GENDER: Reflections on the Life & Work of kari edwards (Litmus Press/Belladonna Books, 2009). Its pronoun is it. It is the lead singer and rhythm guitarist in the country bands Juan & the Pines (NYC) and The Western Skyline (Oakland). Brolaski is currently researching and editing The Apache Pollen Path (University of New Mexico Press, 2020), a book on Mescalero Apache ceremony, with its grandmother, Inés Talamantez.

  • w-facebook
  • Twitter Clean
  • w-flickr